Em tempos de crise, é comum que o mercado entre em recessão, com os mais diversos negócios sofrendo retrações bastante notáveis. Em períodos tão desesperadores, muitas empresas fecham as portas, resultando em demissões massivas.

No entanto, mesmo em períodos tão turbulentos quanto uma crise, startups como as fintechs mostram resultados promissores, inclusive com algumas delas – quando devidamente auxiliadas por uma consultoria para fintech especializada em serviços para startup – mostrando ganhos substanciais durante esses períodos!

Importância das startups em momento de crise

Na conversa de hoje falaremos sobre o que é uma startup, quais as diferenças entre startups e empresas convencionais, como as startups podem ajudar durante uma crise, quais suas vantagens e que tipos de serviços para startup podem ser prestados por um advogado especialista em startup, então se quiser saber mais sobre esse tema, venha conosco e tenha uma boa leitura!

O que vem a ser uma startup?

o que é startup

De forma bastante resumida, podemos dizer que startups são empresas emergentes que estão no início de suas atividades e que buscam desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio em qualquer área ou ramo de atividade, preferencialmente de forma escalável e repetível, ou seja, atingindo um grande número de clientes e gerando lucro em pouco tempo sem aumentar significativamente os custos envolvidos no processo.

As startups normalmente possuem base tecnológica, como é o caso com as fintechs, que são startups do mercado financeiro. O NuBank é um exemplo muito popular de fintech, concorrendo até mesmo com as grandes instituições financeiras.

Quais as diferenças entre startups e empresas convencionais?

diferenças entre startups e empresas convencionais

Muitas vezes há certa associação entre as startups e empresas comuns. No entanto, as startups possuem diversas características que as dissociam das empresas nos moldes tradicionais. Conheça algumas delas a seguir:

1 – Estrutura de negócio: Empresas já consolidadas no mercado possuem um fluxo de operação estruturado e direcionado aos seus processos, o que as leva tanto a terem melhor planejamento em longo prazo quanto a dificuldades ao se adaptar às mudanças.

Empresas convencionais possuem ampla estrutura voltada à sobrevivência frente à concorrência e ao retorno do valor investido, enquanto startups são focadas na oportunidade (pois surgem para atender uma necessidade do mercado, especializando-se nesta e crescendo rapidamente por isso).

Por outro lado, a grande dedicação e o rigoroso planejamento envolvido nos processos de um negócio tradicional resultam em um crescimento mais lento.

2 – Espírito organizacional: Uma startup é uma empresa que desde o seu nascimento é projetada para escalar e crescer diante de uma oportunidade identificada, de uma tendência ou descoberta de uma solução para um problema. Seu planejamento envolve um bom planejamento financeiro, tributário e trabalhista, com a presença de um advogado especialista em startup sendo um diferencial, especialmente na consultoria para fintech. Afinal, a empresa deve estar muito bem organizada na hora de receber um investimento.

As empresas tradicionais muitas vezes são projetadas para sobreviver e se manterem rentáveis, entrando em uma “zona de conforto” onde é possível obter retornos constantes.

Startups trabalham em um ambiente de incertezas, transformando seus colaboradores para que todos participem do crescimento da empresa (por muitas vezes desempenhando várias funções no inicio da operação), visto que o sucesso do negócio depende de todos e possuem estruturas mais simples de desenvolvimento..

Enquanto isso, nas empresas tradicionais, os funcionários possuem funções bem definidas, fazendo suas contribuições para a melhoria dos processos e desempenho.

3 – Ambiente organizacional: O alto risco e a incerteza do negócio leva os funcionários de startups a serem mais proativos, lidando rapidamente com problemas que surgem e exigem soluções rápidas, efetivamente “apagando incêndios”.

Nas empresas tradicionais a estrutura de operação é bem consolidada, com os funcionários tendo tudo programado e planejando as suas funções, reduzindo os riscos de incertezas e demandando novos planejamentos e ações assim que cada problema surge.

Como as startups podem ser úteis em momentos de crise?

startups podem ser úteis

Como citamos anteriormente, um dos maiores problemas durante as crises é o fechamento de empresas e a consequente demissão de trabalhadores. Ao olhar conceitualmente para as startups, que são organizações em seus estágios iniciais de desenvolvimento altamente dependentes de investimentos, é inicialmente difícil ver como esse tipo de organização poderia prosperar em momentos tão árduos.

No entanto, o fato das startups buscarem investimentos rentáveis, escaláveis e repetíveis as leva à necessidade de inovação. Os produtos e serviços oferecidos por essas organizações geralmente são altamente inovadores, adaptados à situação atual da sociedade e altamente rentáveis. Resumidamente, podemos dizer que as startups surgem para suprir demandas do mercado. Desta forma, o produto ou serviço oferecido será uma solução inovadora, que gera economia ou ganhos substanciais, sendo muito superior às opções existentes no mercado. Em um momento de crise, onde a necessidade é investir em diferenciais e reduzir custos, as startups possuem a chance perfeita de ajudar a sociedade a vencer os períodos turbulentos e surgem como grandes oportunidades de negócios e investimentos, tais como:  

1- fintechs que podem emprestar quantias ao cidadão sem os entraves burocráticos de Instituições Financeiras, 

2- startups de comércio e entrega de alimentos, num momento em que o acesso presencial aos estabelecimentos e restaurantes estão inviabilizados, 

3- startups de prestação de serviços à distância ou ecommerce, como por exemplo prestação de serviços contábeis, comércio e entrega de flores e presentes, entre outros, 

4- startups de educação e cursos à distância, como por exemplo de desenvolvimento pessoal, graduação, idiomas, etc, e 

5- startups de transportes e logística, por exemplo para entrega de produtos por fornecedores para indústrias, hospitais ou mesmos para consumidores finais 

Para a estruturação e acompanhamento jurídico de todas essas startups, o trabalho de um advogado especializado se faz imprescindível, valendo lembrar que a própria estruturação alinhada com parceiros de tecnologia e de contabilidade otimizam a criação das estruturas e plataformas digitais.

Quais são as vantagens das startups?

vantagens das startups

Quando se trata de investir em uma startup, há diversas vantagens que colocam esse tipo de empresa muito à frente dos modelos tradicionais de negócios, tais como:

Grande potencial: Por surgirem em resposta a demandas do mercado, as startups possuem um grande potencial de crescimento a longo prazo caso ofereçam uma solução realmente viável e inovadora. Tecnologias que facilitem as vidas das pessoas são dotadas de maior potencial!

Transparência: Ao investir em grandes empresas, é comum ter de lidar com inúmeras burocracias e departamentos gerenciados por pessoas desconhecidas. Em uma startup, a pessoalidade envolvida torna muito fácil entender o que a empresa faz, com quem falar e o que será feito com o seu dinheiro. Falar com o dono é muito mais fácil!

Possibilidades positivas em meio à crise: Ao formular soluções inovadoras que respondam às demandas do mercado, as startups podem não somente sobreviver a uma crise como se beneficiar desses momentos turbulentos, tornando o investimento muito promissor.

Investimentos protegidos da inflação: Com o sucesso da startup, os ganhos são naturalmente protegidos da inflação, pois a valorização de uma empresa acompanha a inflação. Caso um investidor venda sua parte da empresa no futuro, o valor será cotado no dinheiro desse dia, já ajustado pela inflação. Ou seja, nada de perdas por conta das flutuações do mercado!

Qual a importância do advogado especialista em startup?

 importância do advogado

Quando se trata de criar uma startup, especialmente uma fintech, o apoio de um advogado especialista em startup é imprescindível. Uma boa consultoria para fintech é um diferencial absoluto para o funcionamento e o crescimento adequado de qualquer startup. Através de uma assessoria jurídica especializada em serviços para startup tem a função de formular bons contratos, manter sua empresa em conformidade com as legislações, atrair investimentos, firmar boas parcerias e manter uma boa relação com os clientes!

A figura do advogado especialista em startup é fundamental para tirar dúvidas sobre os seguintes tópicos, garantindo o bom funcionamento do negócio:

  • Revisão e elaboração de termos de uso e políticas de privacidade;
  • Revisão e elaboração de contratos e distratos empresariais;
  • (Re)estruturações societárias;
  • Análise jurídica de operações empresariais;
  • Entrada de investimento;
  • Operação de desinvestimento;
  • Registro e proteção da marca;
  • Esclarecimentos legislativos;
  • Implementação e expansão de empresa.

Gostou de saber mais sobre a importância das startups em momentos de crise? Lembre-se que a consultoria jurídica é uma ferramenta indispensável ao bom funcionamento da sua startup! Procurando por advogado em São Paulo que possa responder perguntas sobre startups? Tire suas dúvidas com a Fux Associados! Contamos com advogados altamente capacitados para responder todas as suas dúvidas sobre esse tema!

Fique atento ao nosso Blog e nossas redes sociais Facebook, Linkedin e Instagram para não perder nossas dicas sobre direito! Até mais!

 

 

 

Abrir WhatsApp
Olá 👋 Posso te ajudar? Se tem alguma dúvida sobre seus Direitos é só enviar uma mensagem 😉
Powered by